Nos últimos anos, a pornografia tem sido alvo de críticas por apresentar uma representação equivocada das identidades étnicas. Como resultado, a indústria adulta tem sido questionada em relação aos estereótipos e preconceitos associados a certos grupos étnicos.

Um dos principais alvos das críticas é a representação do negão (também conhecido como black cock ou bbc) nos vídeos pornográficos. Esse termo surgiu como uma maneira de descrever a figura do homem negro musculoso e bem-dotado presente nos filmes adultos.

Apesar de ser popular entre o público, a representação do negão nos vídeos pornográficos tem sido criticada pelo reforço de estereótipos racistas e de sexualização excessiva da figura masculina negra.

A figura do negão é muitas vezes vista como o oposto da figura do homem branco, que representa a normalidade e a segurança. Essa representação influencia a forma como os homens negros são percebidos e tratados na sociedade, perpetuando a noção de que eles são hipersexualizados e perigosos.

Além disso, a representação do negão nos vídeos pornô tem sido criticada por perpetuar a ideia de que o tamanho do pênis está correlacionado com a raça, o que é completamente falso e reforça estereótipos nocivos.

A indústria adulta tem sido questionada quanto a uma maior diversidade étnica e representação de diferentes corpos, mas o progresso ainda é lento e a representação do negão continua sendo popular nos vídeos pornográficos.

Em última análise, a representação étnica na indústria adulta tem um grande impacto na forma como somos representados na sociedade e na construção de estereótipos e preconceitos. A representação diversa e inclusiva deve ser buscada para combater a perpetuação desses conceitos nocivos.